A Necessidade de Recuperação

A nossa condição de humanos faz com que não sejamos super-homens ou super-mulheres. Deus criou-nos com limitações, as quais temos o dever e a obrigação de reconhecer. Segundo a Palavra de Deus, somos frágeis (Isaías 51:12; II Crónicas 14:11; Jó 25:6), sujeitos à degradação do nosso corpo (Romanos 1:23), mortais (Génesis 6:3, Salmo 8:4), criaturas e não Deus (Ezequiel 2:9; 28:2) e por isso mesmo Deus instruiu o Seu povo no passado para que tivesse períodos de repouso mais longo, para além do repouso semanal, o Seu santo Sábado.
O povo deveria interromper as suas atividades durante algumas semanas e tomar tempo para a recriação em família e para reconhecer o poder de Deus e a Sua bênção nas suas vidas. Era o tempo da Festa dos Pães Ázimos, da Festa das Semanas e da Festa dos Tabernáculos (Deuteronómio 16:16). Um período para recuperar forças e alento para as atividades seguintes do ano.
Hoje, como então, necessitamos de reconhecer a nossa dependência de Deus e a nossa grande necessidade de recuperar forças e alento para o ano de trabalho que estará diante de nós. Aqueles que têm a bênção de terem um posto de trabalho, devem aproveitar este momento de férias para agradecer a Deus por essa bênção e retemperar as suas forças físicas e anímicas. Também é importante que relembremos aqueles que são menos afortunados que nós e que infelizmente estão de “férias” involuntárias há já algum tempo, orando a Deus para que dê sabedoria aos governantes e visão aos empresários a fim de que existam condições de cada família ter a garantia do seu sustento através do trabalho. Estando gratos pelas bênçãos do trabalho e das férias, sejamos generosos apoiando alguma ou algumas famílias, segundo as nossas possibilidades, neste momento menos positivo, pois VIVER+ é, também, estar atento às necessidades dos que nos rodeiam.
buir generosamente com as suas ofertas de forma sistemática e não meramente por impulso ou identificação com determinados projetos.